Por que eu parei de comprar guardanapos

Esses dias ouvi a frase "seu dólar (ou real) gasto vale mais que seu voto" e ela na hora já fez muito sentido pra mim, pois já faz um tempo que venho me preocupando com o consumo.

Assim que compro algo, vou logo procurar onde ele foi produzido, china, Indonésia, Taiwan, EUA. Me atucano mesmo com isso, acho que é uma perda de recursos algo vir de tão longe pra nos satisfazer. Quanto mais longe o produto foi produzido, mais fico de cara, chegando às vezes a nem comprar se eu sei que o produto vem de mais de um continente de distância.

Ao não comprar algo por um motivo desses, começo a me questionar também a utilidade do produto, pois, se eu realmente precisasse daquilo, eu teria comprado, não importando de onde ele vem.

Nesses pensamentos maluco sobre coisas, me peguei usando um guardanapo. Vi que ele vinha de outro estado do país e me questionei: preciso disso? Mesmo que viesse de perto, de outro bairro, valeu a gasolina gasta só para eu limpar minha boca de molho de cachorro quente? Num mundo sem guardanapos, a sociedade ainda viveria de boaaaaassa, não?

No que a gente têm gasto coisas? Vale mesmo comprar uma pulseira no ali express só porque é mais barato, fazendo ela vir da CHINA? E nem preciso ir longe, a Renner tem muita coisa feita lá também. Muitas compras que a gente faz impactam MUITO a vida de pessoas. Imaginem quanto é gasto, desperdiçado e impactado para que uma roupa, móvel ou comida venha do outro lado do mundo, enquanto existe comércio local que pode suprir a maioria das coisas.

A partir dessa pergunta, vem o segundo questionamento: a gente precisa dessas coisas? Sei lá, acho que a gente não precisa de muita coisa que a gente compra. Eu vou começar a cuidar mais onde gasto meus poucos (mas valiosos) reais. E, obviamente, abolir o guardanapo aqui em casa.